Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

Tyco investe 31 milhões na expansão de fábrica de Évora

20.11.12 | barak

A Tyco Electronics, produtora de relés para a indústria automóvel, vai expandir a sua fábrica de Évora, num investimento de quase 31 milhões de euros, dos quais 25 milhões são incentivos comunitários, avança a Lusa.

O investimento já foi aprovado pelo Governo e o respetivo despacho, assinado pelos ministros da Economia e do Emprego e de Estado e dos Negócios Estrangeiros, foi publicado esta segunda-feira em Diário da República (DR).

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, António Dieb, congratulou-se pelo projeto de expansão apresentado pela multinacional norte-americana. «Para a nossa região, é importante porque se trata de mais investimento produtivo e mais postos de trabalho», destacou António Dieb.

Além disso, acrescentou, a aposta do Grupo Tyco tem «o efeito demonstrativo» de que, mesmo em tempos de crise, «o Alentejo tem condições reais de ser competitivo».

No despacho governamental, pode ler-se que a Tyco Electronics ¿ Componentes Eletromecânicos apresentou uma candidatura ao sistema de incentivos à inovação no âmbito do Programa Operacional Factores de Competitividade (COMPETE).

Trata-se, segundo o documento, da expansão da unidade industrial do grupo localizada em Évora, num investimento superior a 30,6 milhões de euros, com a criação de 25 novos postos de trabalho diretos e a manutenção de 1.537.

«Estão a decorrer os procedimentos normais para a assinatura do contrato», revelou o presidente da CCDR Alentejo, afirmando esperar que o acordo possa ser formalizado «dentro de 15 dias a três semanas».

O contrato envolve a atribuição de 25 milhões de euros de fundos comunitários e, no seu período de vigência, a Tyco prevê atingir um valor acumulado de vendas de cerca de 1.668 milhões de euros e um valor acrescentado bruto acumulado de 640,1 milhões de euros.

O projeto, refere o despacho governamental, assinado no passado dia 09, representa «a consolidação e reforço da presença em Portugal, particularmente na região de Évora, de uma unidade de média-alta tecnologia».

O Grupo Tyco estima «um crescimento de 25% da capacidade de produção» da unidade alentejana, enquanto o volume de negócios adjudicado a outras empresas «deverá aumentar 10% a 15%», o que representa «um significativo efeito de arrastamento em atividades a montante».

O objetivo da multinacional é concentrar na cidade alentejana a sua atividade mundial de produção de relés para a indústria automóvel, «reforçando a posição da empresa portuguesa neste setor de atividade». 

«A escolha da fábrica de Évora para a execução desta estratégia deve-se à experiência acumulada pela empresa portuguesa ao longo de quase quatro décadas, para além da sua competitividade em termos de custos de produção», frisa o despacho.

Dado o seu «impacto macroeconómico» e «efeito estruturante para o desenvolvimento, diversificação e internacionalização da economia portuguesa», o projeto foi considerado pelo Governo como tendo «grande relevância para a economia nacional».