Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

Inundações deixam rasto de destruição

05.11.12 | barak

Bastaram vinte minutos de chuva intensa para lançar o caos na cidade de Évora, durante a madrugada de ontem. A tromba de água levou a mais de 70 pedidos de ajuda aos Bombeiros naquele distrito.


Só na cidade Património Mundial, os soldados da paz acorreram a mais de 50 ocorrências, a partir das 05h00, sobretudo inundações em casas, estradas, garagens e lojas. Há ainda outros relatos de mau tempo e de destruição um pouco por todo o País.

"A lama acumulou-se nos esgotos, que não deram vazão a tanta água. As rotundas da cidade estavam quase todas alagadas. Fomos ainda chamados para várias ocorrências em casas e lojas", relatou ao CM Rogério Santos, comandante dos Bombeiros Voluntários de Évora, visivelmente cansado da madrugada de azáfama. No bairro Senhora da Glória, os moradores não tiveram mãos a medir.

"A água estava quase a um metro de altura. Os electrodomésticos estão estragados e as coisas todas molhadas", disse ao CM Angélica Barbosa, septuagenária que teve de ser retirada de casa com ajuda de vizinhos. O mau tempo no Alentejo causou só danos materiais.

Em Lisboa, a chuva não deu tréguas aos Sapadores e PSP de madrugada, principalmente entre as 00h00 e as 04h00 – os bombeiros acorreram a 33 inundações. Em Benfica, um monte com seis metros de altura cedeu e vários rochedos enlameados foram aterrar em cima de dois carros estacionados, causando vários estragos. Na rua Rodrigo da Fonseca, a queda de uma árvore atingiu e danificou quatro veículos – uma carrinha ficou com os vidros partidos e a estrutura destruída. Junto à av. da Liberdade, um prédio perdeu parte da fachada, que atingiu um carro. Durante o dia, os bombeiros foram a dezenas de ocorrências relacionadas com o temporal.