Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

Évora: Oposição CDU desafia executivo camarário PS a apresentar proposta de saneamento financeiro

19.10.11 | barak
A oposição comunista na Câmara de Évora desafiou o executivo PS a apresentar uma proposta de saneamento financeiro que permita regularizar as dívidas aos credores, que ascendem a mais de 70 milhões de euros.
Numa conferência de imprensa, que serviu para fazer o balanço da primeira metade do atual mandato autárquico, o vereador da CDU Eduardo Luciano mostrou-se preocupado com a situação financeira do município, por estar a “atingir níveis de verdadeiro descalabro”.
“A Câmara de Évora tem hoje uma dívida superior a 70 milhões de euros, está em muitas das suas atividades paralisada, não paga a tempo e horas aos seus fornecedores e tem prazos de pagamento superiores a um ano”, exemplificou Eduardo Luciano.
Revelando que a autarquia “deve mais de 700 mil euros às juntas de freguesia, dos protocolos de transferência de competências”, o eleito comunista afirmou que algumas vivem “situações dramáticas”, em que os presidentes “andam de volta dos serviços municipais para poderem pagar salários” aos funcionários.
“Esta gestão tem vindo a agravar esta incapacidade de responder aos seus compromissos com as juntas de freguesias, fornecedores e com os agentes culturais, sociais e desportivos”, afirmou, advertindo que alguns “já estão a despedir pessoas”.
Eduardo Luciano criticou a “atitude” do executivo PS perante as dificuldades financeiras, por não as reconhecer, considerando que “é uma resposta de demissão daquilo que devia ser o papel da câmara”.
“Não estou a afastar as dificuldades que são óbvias e que existem. O que critico é a atitude do não há nada a fazer e do vamos esperar que passe”, disse o vereador da CDU, defendendo que “é essencial o saneamento financeiro da câmara”.
Caso o município não avance para esta solução, Eduardo Luciano avisou que a câmara pode “ter de declarar uma situação de desequilíbrio financeiro estrutural”, comprometendo a sua autonomia política durante muitos anos.
O presidente da Câmara de Évora, o socialista José Ernesto Oliveira, escusou-se a tecer qualquer comentário sobre o teor da conferência de imprensa do vereador comunista.