Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

Évora: Universidade não poderá funcionar com mais cortes do Orçamento do Estado

30.08.11 | barak

A Universidade de Évora considera que os cortes orçamentais previstos para 2012 no Orçamento do Estado inviabilizam o normal funcionamento da instituição. Uma redução de 10% que é impossível de cumprir, diz o Vice-reitor da Universidade.

Manuel Cancela d'Abreu adianta que a Universidade não pode despedir funcionários, já que estão no quadro. As despesas correntes estão reduzidas a um “limite que garante a qualidade do ensino”. O responsável considera que o aumento de propinas também é inviável, porque neste momento já são muitos os alunos que têm dificuldade em cumprir os pagamento para com a Universidade.

A Direção de Serviços de Suporte à Rede de Ensino Superior aponta a Universidade de Évora como a instituição que tem o maior custo de funcionamento do país relativamente ao número de diplomados.

O vice-reitor da Universidade de Évora considera que o valor de 28 mil e 13 euros por aluno é elevado, mas aponta um desfasamento na análise dos dados.

Em declarações à DianaFm, Cancela d'Abreu diz que atualmente, a Universidade de Évora estará a “meio da tabela” dos custo com alunos no ensino superior.

Neste momento decorre a 3ª fase de candidaturas ao 2º ciclo.

Até agora foram admitidos mais de 1000 alunos para os estudos pós-graduados.

Este ano o número nacional de candidatos ao primeiro ciclo do ensino superior é inferior ao de 2010, não se sabendo ainda em que medida a Universidade de Évora pode ser afetada. Os resultados serão conhecidos no dia 18 de Setembro