Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

Mau tempo: 43 inundações em Beja

06.06.11 | barak

A forte chuvada que fustigou Beja no domingo provocou 43 inundações em ruas de zonas baixas, estradas, habitações e nas caves de um hotel e da Unidade de Hemodiálise do hospital, mas sem causar danos materiais graves, escreve a Lusa.

Devido à chuvada, que começou por volta das 16:00 e caiu durante cerca de hora e meia acompanhada de trovoada e granizo, «registaram-se 43 ocorrências de inundações», sobretudo lençóis de água em ruas de zonas baixas da cidade, disse esta segunda-feira à Lusa o comandante distrital de operações de socorro de Beja, Vítor Cabrita.

Segundo o comandante, os lençóis de água em ruas de zonas baixas da cidade com «maior expressão» formaram-se na zona de abastecimento de automóveis de uma estação de serviço e na estrada junto ao Parque de Feiras e Exposições de Beja.

Do total de inundações, «cerca de meia dúzia» registaram-se em habitações, onde a água atingiu níveis de «cerca de cinco a 10 centímetros», mas «não houve desalojados, apenas alguns danos materiais e sem grande expressão».

A chuvada provocou também a inundação da cave do Beja Parque Hotel com «cerca de meio metro de água» e no local estiveram duas viaturas dos bombeiros de Beja a retirar a água, explicou Vítor Cabrita.

Em declarações à Lusa, a directora do hotel, Fátima Rosa, explicou que a água entrou na cave, onde funcionam o ginásio, a lavandaria, áreas de armazém e um parque de estacionamento subterrâneo, mas «não causou estragos».

«Na zona do estacionamento, a água talvez tenha atingido meio metro de altura, mas nos outros sítios não foi nada de especial», disse, frisando que «já está tudo limpo» e «o ginásio começou a funcionar normalmente às 08:00».

A chuvada provocou ainda uma inundação na cave da Unidade de Hemodiálise do hospital de Beja, que também «sem causar danos», disse José Manuel Mestre, presidente da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, que gere o hospital.

A inundação «não causou danos, porque não foi a primeira vez que aconteceu e tomaram-se providências», disse, explicando que a água que entrou «encheu o poço do elevador» e inundou as duas salas da cave da Unidade de Hemodiálise, onde «deve ter atingido um nível de cerca de 20 centímetros».

Segundo Vítor Cabrita, a chuvada provocou também a formação de lençóis de água nas redondezas da cidade, nomeadamente um na estrada em direcção a Évora e perto da CerciBeja e dois em duas zonas da Estrada Nacional 260, a poucos quilómetros após a saída de Beja em direcção a Serpa.