Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

Conservatória sem accesos

16.05.11 | barak

Maria Inácia Campaniço, que sofre de distrofia muscular – miopatia, uma doença degenerativa da membrana que envolve a célula muscular, e que lhe retirou a capacidade de andar aos nove anos – viu-se recentemente privada de requerer o Cartão do Cidadão em Évora, cidade onde vive e trabalha, porque a conservatória local não tem acesso para pessoas com mobilidade reduzida.

 

“No tempo do bilhete de identidade, os funcionários da Conservatória do Registo Civil de Évora vinham ter comigo à rua e era aqui que tratava da renovação. Com o novo sistema, deixaram de o poder fazer. Acabei por ter de ir ao Redondo, onde a conservatória tem rampa de acesso”, disse a licenciada em Psicologia, que trabalha no Espaço Municipal da Juventude de Évora.

 

Maria Inácia tem 30 anos, é natural de Pias, Serpa, e fez quase todo o percurso escolar em Évora. Já na universidade, só começou as aulas quando os edifícios foram adaptados com rampas.