Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

IEFP-Évora: Construção de edifício para formação aeronáutica

15.04.11 | barak

A Delegação Regional do Alentejo do Instituto do Emprego e Formação Profissional assinou um auto de consignação para a construção de raiz, no Centro de Formação de Évora, de um edifício destinado à formação aeronáutica. Vão ser investidos quase 3 milhões de euros, 800 mil dos quais para aquisição de equipamnto para as oficinas.

O Centro de Formação Profissional de Beja do Instituto do Emprego e Formação Profissional, volta a ser preterido. Apesar da existência do aeroporto nesta cidade, a Delegação Regional do Alentejo vai construir um novo edifício em Évora.

Durante a cerimónia do primeiro voo comercial a partir do Aeroporto de Beja, a Voz da Planície teve conhecimento no local e revelou na altura que a Delegação Regional do Alentejo do IEFP tinha assinado “um auto de consignação da obra de construção de um edifício destinado à formação para o cluster da aeronáutica”, cuja conclusão está agendada para o final do corrente ano, mas, a ser edificado no Centro de Formação Profissional de Évora.

O acordo foi celebrado no início desta semana, as escassas horas da realização do voo em Beja e a situação nada teria de especial se não existisse nesta cidade, um Centro de Formação, cujas oficinas poderiam ser adaptadas, com menores custos e rentabilidade de meios”, se no início de Março não tive ocorrido em Beja uma reunião, onde entre outras parceiros esteve o IEFP, destinada à criação de um curso de técnicos de manutenção aeronáutica especializada nesta cidade, e finalmente, se durante a cerimónia comemorativa do primeiro voo, o presidente da Câmara de Beja, não tivesse reafirmado esse propósito, “com vista à criação de um Centro Internacional de Formação”.

Ontem procurámos uma resposta junto da delegada Regional do Alentejo do IEFP, Ana Duarte, mas, através da sua secretária, fomos remetidos para o Gabinete de Comunicação, em Lisboa. Na sede do Instituto foi-nos solicitado que colocássemos por mail, à responsável daquela estrutura, Fátima Cerqueira, as questões que desejávamos ver respondidas.

E com o pedido de URGENTE, solicitámos esclarecimentos sobre as razões objectivas que levam à construção de raiz do chamado “Edifício da Aeronáutica” e quanto vai ser investido e porque não é o mesmo construído no Centro de Formação Profissional Beja (na foto), com o aproveitamento das oficinas com menores custos adicionais.

Questionámos ainda, e em função da reunião de Março, com o IEFP, que razões levam à duplicação de valências para o mesmo sector, e finalmente, porque a notícia da Voz da Planície sobre o Centro de Formação Profissional de Beja, nunca foi desmentida, após a sua divulgação, perguntámos de novo, qual o seu futuro ?

Em declarações à Agência Lusa, proferidas no passado dia 31 de Março, a delegada regional do Alentejo do IEFP, Ana Duarte, afirmou que “o investimento seria de quase três milhões de euros, 800 mil para aquisição de equipamento para as oficinas”, num edifício com cerca de 1.500 metros quadrados, tendo “o Tribunal de Contas dado o acordo para a efectivação das obras”.

Apesar de termos solicitado que a resposta nos fosse dada durante o dia de ontem, por parte do Gabinete de Comunicação do IEFP, não nos foram prestados os esclarecimentos pretendidos.

 

Teixeira Correia