Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

Transportes:Circulação de veiculos pesados dentro da normalidade - GNR

14.03.11 | barak

A paralisação convocada pelas empresas de transporte de mercadorias, iniciada às 00:00 de hoje continua a não causar problemas de circulação nas fronteiras do Caia (Elvas) e Galegos (Marvão).

De acordo com o tenente-coronel, Joaquim Figueiredo, da GNR, nas restantes vias do distrito de Portalegre, a circulação de veículos pesados é também feita com normalidade.

Em Évora algumas dezenas de camiões continuam concentradas junto a duas das principais entradas da cidade, com os transportadores a sensibilizar os colegas em viagem para a "situação que consideram completamente insustentável" do setor.

Os dois grupos de representantes de empresas de transporte de mercadorias estavam parados junto às entradas da cidade que dão acesso a Lisboa e a Beja e Algarve, num protesto "pacífico e por tempo indeterminado" e sem prejudicar o trânsito.

Menos pacífica foi a situação vivida hoje de manhã na zona do carregado, onde um camião foi apedrejado e a outro foram cortados os tubos do combustível.

As associações transportadoras de mercadorias e o Governo estiveram reunidos domingo, durante seis horas, mas não chegaram a um acordo que permitisse a suspensão da paralisação iniciada às 00:00 de hoje.

De acordo com o ministro das Obras Publicas, Transportes e Comunicações, António Mendonça, a única reivindicação que o Governo não aceitou foi a redução do preço dos combustíveis.

Para o governante esta redução não é possível tendo em conta as atuais directivas europeias.

Este protesto traz à memória o bloqueio do verão de 2008, quando entre 09 e 11 de junho as estradas portuguesas foram bloqueadas por centenas de pesados de mercadorias, que protestavam contra a subida do preço do gasóleo.

Na altura, o protesto deixou os supermercados com as prateleiras vazias e os postos de abastecimento secos.