Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

Évora: Simulacro "prova" necessidade de criar serviço básico de segurança e luta contra incêndios no aeródromo

03.03.11 | barak

A necessidade de criar no Aeródromo Municipal de Évoraum serviço básico de segurança e combate contra incêndios foi hoje confirmada durante um simulacro de acidente com um avião da academia aeronáutica naquela infraestrutura.

“Neste momento, o serviço básico de segurança e luta contra incêndios está numa fase de implementação, mas, se já estivesse a funcionar seria uma mais-valia e uma resposta imediata”, disse o Comandante Operacional Municipal de Évora, Joaquim Piteira.
O “pleno” de segurança, considerou, verificar-se-á quando estiver criado este serviço que ficará “em permanência no aeródromo durante as operações de voo”, com um carro de combate a incêndios para aeronaves devidamente equipado e com uma guarnição de três elementos.
Com este serviço, “o tempo de resposta passa dos atuais oito minutos para apenas dois minutos”, frisou o Comandante Operacional Municipal de Évora.
O simulacro de acidente no Aeródromo Municipal de Évora envolveu um avião da Academia Aeronáutica de Évora (AAE), que foi "obrigado" a aterrar de emergência devido ao fumo na cabine, provocando uma vítima mortal e cinco feridos, num exercício que serviu para testar capacidades de reação dos meios.
Numa primeira análise, “o balanço é positivo e a resposta dos meios, mesmo os externos ao concelho, foi em permanência e com uma grande atividade”, considerou.
Integrado nas comemorações do Dia Mundial da Proteção Civil, que se assinalou terça-feira, o exercício teve como objetivo “testar a operacionalidade e os tempos de resposta dos meios” para “resolver a situação o mais rápido possível no caso de um acidente real que possa vir a acorrer”, disse.
O Comandante Operacional Municipal de Évora explicou que o avião “fez uma aproximação à pista e informou que vinha com um problema na cabine”, sendo que “dessa comunicação foram ativados todos os procedimentos de emergência”.
“Ao aterrar de emergência, embateu no solo e despistou-se, incendiando-se em seguida”, contou, adiantando que “os três elementos em terra, ao prestarem o primeiro auxílio com extintores, não conseguiram fugir e ficaram com algumas lesões”.
No exercício de hoje, participaram quatro ambulâncias, dois veículos de combate a incêndios e outro de desencarceramento e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).