Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

Évora sem iluminações de Natal

16.10.10 | barak

O presidente da Câmara de Évora, José Ernesto Oliveira (PS), vai propor ao executivo municipal a anulação da iluminação de Natal deste ano, como medida de contenção, permitindo uma poupança que pode chegar aos 150 mil euros

A proposta da gestão socialista, justificada pelo actual contexto de restrição e poupança da autarquia alentejana, vai ser apresentada na próxima reunião pública de câmara, marcada para segunda feira.

Caso a proposta seja aprovada, as principais ruas da cidade não vão receber qualquer enfeite de Natal, à exceção da Praça do Giraldo, considerada a sala de visita» da cidade, adiantou hoje o autarca socialista, em declarações à Agência Lusa.

«Este ano vamos reduzir a iluminação de Natal a uma mensagem de boas festas instalada no centro da cidade», disse José Ernesto Oliveira.

Considerando que, nos dias de hoje, «os orçamentos públicos dificilmente podem comportar estas despesas», o autarca explicou que o município vai procurar ajudar os comerciantes através de uma campanha de promoção de compras no comércio tradicional.

Também em declarações à Agência Lusa, o vereador da oposição CDU Eduardo Luciano considerou que a medida «vai prejudicar a animação da cidade e torná-la mais triste num período em que a apetência das pessoas para andar na rua e visitar lojas é maior».

«Enquadrada em medidas de contenção de despesas, percebe-se que as iluminações de Natal possam ser reduzidas», disse, defendendo, no entanto, que deve ser encontrada «uma solução que reduza as despesas, mas que não apague a luz à cidade em época de Natal».

Já o vereador social democrata António Costa Dieb afirmou à Lusa que a medida é «lamentável», por se tratar de uma «época especial para a vivência social e familiar da comunidade e para a economia local, nomeadamente para o comércio e restauração».

«Tudo o que seja sacrificar a atratividade e a animação é prejudicial para a cidade», afirmou, acusando ainda a gestão socialista da autarquia de «não estabelecer objectivos», ao «gastar verbas que depois faltam para coisas que são importantes».

Tal como os dois vereadores da oposição, o presidente da Associação Comercial do Distrito de Évora (ACDE), Luís Borges, disse à Lusa que desconhecia a proposta da gestão socialista, considerando-a negativa para a animação da cidade alentejana.

«Se não houver iluminação de Natal em Évora, vamos ter uma cidade que vai passar ao lado do Natal», afirmou, adiantando que aguarda mais esclarecimentos da autarquia.

Lusa / SOL