Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

PARTIDO SOCIALISTA ASSUME QUE NÃO FEZ OBRAS ESTRUTURANTES NO CONCELHO DE ÉVORA

15.10.10 | barak

Em comunicado publicado no Diário do Sul no dia 8/10/2010, a propósito das declarações do Vereador da CDU Eduardo Luciano, sobre as conclusões das Jornadas Autárquicas da CDU do Concelho de Évora, o Partido Socialista (PS), ao tentar desesperadamente afirmar que fez obra no concelho de Évora, acaba por assumir que não realizou nenhuma das obras estruturantes que se comprometeu a fazer nos últimos 9 anos, desde que está a gerir a Câmara Municipal de Évora. A situação é mais grave ainda quando se constata que neste comunicado não refere qualquer intenção de fazer estas obras, do que se pode concluir que as abandonou e que já não fazem parte da sua intervenção no concelho de Évora.

 

O concelho de Évora, com esta gestão do PS, fica com o seu desenvolvimento futuro quase irremediavelmente comprometido. Ficamos, também, com a confirmação de que o PS não foi honesto quando se comprometeu com os eleitores, nos programas eleitorais de 2001, 2005 e 2009, em realizar mais de 60 obras e iniciativas com as quais faria de Évora uma cidade de excelência.

 

Neste comunicado o PS apresenta uma listagem onde predominam as intervenções de manutenção e, quando se refere a obras de maior importância volta a falar de intenções porque umas não têm terreno e outras não têm projecto, como são os casos da Variante do Ramo Nascente, da Acrópole XXI e do Salão Central. É importante que se saiba que a gestão do PS na Câmara Municipal perde o apoio dos fundos comunitários porque não tem capacidade de apresentar projectos para candidatar.

 

Para a CDU é grave e lesivo dos interesses do concelho de Évora, que o PS tenha prometido durante 9 anos obras importantes, não as tenha realizado e venha agora assumir publicamente que não as vai fazer. A crise que o país vive é preocupante, mas não é a crise que justifica a má gestão, a pouca honestidade, a pouca transparência e a propaganda enganosa que são as marcas do PS em Évora.

 

As obras e iniciativas que o Partido Socialista se comprometeu a fazer e não fez, nas eleições autárquicas desde há 9 anos (fazendo uma síntese das principais) são as seguintes:

 

Pavilhão de Congressos, Parque de Feiras e Exposições, remodelar o Salão Central Eborense, Estádio Municipal (Parque Desportivo Municipal), novo Complexo de Piscinas, Parque Urbano de Lazer e Fruição Ambiental, renovar as velhas redes de saneamento básico do Centro Histórico, privilegiar o estacionamento no Centro Histórico para o comércio e os residentes, requalificação urbanística e arquitectónica da envolvente às Portas de Avis, incluindo “Docas Secas”, construção do Ramo Nascente, da Variante Externa, criar um Programa Municipal de Habitação para facilitar a instalação de famílias jovens, promover e apoiar eventos culturais, desportivos e científicos, promover Évora como capital regional do património e da cultura no contexto nacional, ibérico e europeu, levantar a bandeira da cultura, realizar grandes feiras e certames internacionais, criar um Centro de Promoção de Design, Moda e Qualidade Urbana, com a participação do comércio local.

 

O PS ainda fala na pesada herança da dívida deixada pela CDU. Fala e continua a mentir. A dívida da Câmara Municipal, em 31 de Dezembro de 2001 era de  34 Milhões e meio de euros e não de 70 milhões de euros como o PS refere na sua propaganda. A dívida não só cresceu para o dobro, sem nenhuma obra que o justifique, como a administração PS alienou património Municipal.

Merece destaque a venda do terreno do parque dos antigos serviços municipalizados/EDP, e a instalação de serviços municipais no Parque industrial num espaço arrendado. Dessa forma a gestão PS contribuiu para o êxodo do centro histórico e para o reforço de uma anacrónica centralidade no parque industrial com todos os problemas de mobilidade que daí decorrem. 

 

A par disto tudo que está por fazer, a cidade está suja, o trânsito está um caos, o Centro Histórico degrada-se, aos agentes culturais, desportivos e sociais não são pagos os apoios financeiros assumidos nos últimos anos; às juntas de Freguesia estão por pagar dezenas de milhares de euros relativos aos transportes escolares e aos protocolos de descentralização de competências. Esta gestão ruinosa do PS na Câmara Municipal está a asfixiar dezenas de empresas do concelho a quem a Câmara não paga.

 

Como corolário o concelho de Évora perdeu mais de 1000 habitantes desde que o PS gere a Câmara de Évora.

 

Só com uma mudança política na Autarquia, Évora poderá recuperar a sua dignidade e voltar a ser atractiva!

 

Évora 12 de Outubro de 2010.

O Secretariado da Comissão Concelhia de Évora do PCP