Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

olharevora

Um olhar crítico/construtivo sobre a cidade de Évora

REN: nova subestação em Estremoz arranca em Setembro

26.08.09 | barak

Uma nova subestação da REN - Redes Energéticas Nacionais começa a funcionar no próximo mês na zona de Estremoz, permitindo a vários concelhos dos distritos de Évora e Portalegre deixarem de depender de redes eléctricas secundárias espanholas.

"A rede de distribuição da EDP [nestas zonas alentejanas] era alimentada numa interligação com Espanha. Na realidade, esta era uma zona que carecia claramente de apoio da rede de transporte portuguesa", realçou hoje à Lusa um responsável da REN, José Peralta.

O director-adjunto da divisão de Equipamento da REN falava à Lusa à margem de uma visita organizada àquela subestação, localizada em São Lourenço de Mamporcão (Estremoz), que será alimentada pela nova linha de muito alta tensão proveniente da Falagueira (Nisa), distrito de Portalegre.

Segundo a REN, esta linha de muito alta tensão e a subestação de Estremoz vão possibilitar a cinco municípios de Évora e a nove de Portalegre uma independência em relação às redes eléctricas secundárias espanholas

A juntar a isto, José Peralta destacou também à Lusa que a subestação que começa a funcionar em Setembro vai permitir "aumentar a segurança e a fiabilidade" do abastecimento de energia eléctrica a Estremoz e Borba.

"Esta zona do país tem uma rede de distribuição eléctrica débil e a REN, como concessionária, decidiu avançar com este investimento, que irá traduzir-se num aumento substancial de segurança e fiabilidade no abastecimento", disse.

Num investimento de 15 milhões de euros, a infra-estrutura, actualmente em fase de ensaios, está instalada a cerca de um quilómetro da freguesia de São Lourenço de Mamporcão.

De acordo com o mesmo responsável, a nova subestação irá contribuir para "uma melhor a qualidade da energia eléctrica e a inibição de tempos de interrupção do abastecimento", tanto para a população, como para o tecido empresarial local

"Dependendo de decisões futuras, esta subestação poderá também ser um dos pontos de apoio para a alimentação da linha do comboio de alta velocidade, entre Lisboa e Madrid", acrescentou José Peralta.

Já o presidente da Câmara de Estremoz, José Alberto Fateixa, salientou que, tanto a nova linha, como a nova subestação, "vão reforçar a ligação à EDP, permitindo estabilizar o fornecimento da energia eléctrica a esta zona".

Afirmando que "quando aumentavam os consumos, a rede tinha algumas debilidades", o autarca apontou como exemplo o caso da aldeia de São Bento do Cortiço, em que parte da população ficou sem luz no Natal de 2006.

Quanto à nova linha de muito alta tensão, entre a Falagueira e Estremoz, com quase 90 quilómetros de extensão, custou 16 milhões de euros e já entrou em funcionamento, passando por vários concelhos do distrito de Portalegre.