Sexta-feira, 30 de Novembro de 2012

Tyco Electronics esclarece ter investido 30,7 milhões de euros na fábrica de Évora entre 2008 e 2011

A Tyco Electronics esclareceu hoje ter investido 30,7 milhões de euros na sua fábrica de Évora entre 2008 e 2011, sem que tenha recebido ou possa vir a receber 25,5 milhões de incentivos comunitários.

“Não é verdade que a empresa tenha recebido ou possa vir a receber 25,5 milhões de euros de incentivos comunitários”, divulgou a administração da fábrica de Évora da multinacional norte-americana, que se dedica à produção de relés para a indústria automóvel.

O esclarecimento da Tyco Electronics surge no seguimento da publicação em Diário da República (DR), no passado dia 19, do despacho do Governo que aprova uma candidatura da empresa a fundos comunitários.

O valor global do investimento, para expansão da fábrica na cidade alentejana, ultrapassava os 30,6 milhões de euros.

No dia da publicação do despacho em DR, o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, António Dieb, afirmou à agência Lusa que, para este investimento, tinham sido atribuídos “cerca de 25 milhões de euros de incentivos” comunitários.

Contudo, num comunicado enviado hoje à Lusa, a Tyco explica que a candidatura em causa, de 30,7 milhões de euros, foi apresentada em 2008 e que o investimento ficou concluído em 2011.

Além disso, a empresa, que viu a sua candidatura aprovada no âmbito do Programa Operacional Fatores de Competitividade (COMPETE), clarifica a percentagem de fundos comunitários atribuída neste tipo de processos.

“O valor máximo dum eventual incentivo financeiro nunca poderá ultrapassar os 15% desse montante e depende do cumprimento dos objetivos de vendas e de valor acrescentado definidos no contrato ora assinado e em vigor até 2019”.

Atualmente, acrescenta a Tyco, não existe qualquer “projeto de investimento de expansão da capacidade produtiva”.

Contactado hoje pela Lusa, o Programa COMPETE referiu que a candidatura da Tyco foi aprovada no início do passado mês de agosto.

A candidatura tinha como investimento elegível cerca de 25,5 milhões de euros e o respetivo incentivo comunitário cifrou-se nos 5,1 milhões de euros, apurou a Lusa junto da mesma fonte.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela agência Lusa

publicado por barak às 14:46
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Se eu fosse presidente da...

. Évora: Pais e alunos cont...

. Paulo Macedo garante anal...

. Polémica: Autarca de Évo...

. M'ar de arAqueduto. Uma e...

. Requalificação do IP8 e I...

. Évora renegociou contrato...

. Alentejo tem novo canal d...

. Évora: Embraer amplia áre...

. FAM - PCP culpa PS por mu...

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Janeiro 2014

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds